VillaseGolfe
· Arte · · T. Maria Amélia Pires · F. Direitos Reservados

zet gallery

De Braga para o mundo

F. Ana Marques Pinheiro
Helena Mendes Pereira

A zet gallery surgiu em 2014 por iniciativa do dst group, uma holding que tem a engenharia e a construção civil como core business, mas que entende a cultura como variável de competitividade, desenvolvendo uma relevante actividade cultural, como o Grande Prémio de Literatura dst, um dos maiores prémios literários privados do país e que premeia anualmente uma obra literária. Este ano, o Prémio chega aos 25 anos e a zet gallery alia-se às celebrações.
Nasceu como uma «plataforma de e-commerce de obras de arte contemporâneas. O projecto, contudo, evoluiu. A galeria, um espaço físico privilegiado com 800 m2, apresenta uma programação regular com seis exposições por ano. O nosso objectivo é promover a arte e o pensamento contemporâneos, apostando na literacia pelo contacto quotidiano com arte e com a cultura». Quem o diz é Helena Mendes Pereira, directora da zet gallery – cujo espaço físico se situa em Braga –, mas também curadora, formadora e investigadora em práticas artísticas e culturais contemporâneas, entre outras ocupações. Possui um longo curriculum, integrando, por exemplo, a equipa da Fundação Bienal de Arte de Cerveira. É autora de mais de 80 projectos de curadoria, tendo trabalhado com mais de 200 artistas, nacionais e internacionais, jovens artistas e consagrados (Paula Rego, Vhils, Joana Vasconcelos, entre outros).

A zet gallery é «muito mais do que uma plataforma de venda de obras de arte online ou de simples galeria».

Quando assumiu a direcção da Galeria trouxe consigo «a vontade de continuar um caminho e de apostar o que sei e o que sou», diz-nos. Os artistas – pintura, escultura, vídeo, desenho, fotografia, instalação – são criteriosamente seleccionados. «Na plataforma representamos perto de 480 artistas, nacionais e internacionais, e há várias acções de criação de conteúdos online».
Este ano, a directora destaca «três grandes exposições individuais: Francisco Vidal [visita virtual online], Miguel Palma e João Louro. Trata-se de nomes incontornáveis da nossa praça. Com eles temos projectos de espaço público e, sobretudo, uma partilha de visões e sonhos». Mas a zet gallery também «tem investido em acções de relação entre a arte em espaço público e a sustentabilidade. Depois de outros projectos, em 2020 lançamos o Prémio Arte em Espaço Público & Sustentabilidade, promovido com o dst group e com o apoio do IB-S-Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade da Universidade do Minho».
Nesta altura, em que o mundo precisa de uma lufada de ar fresco, a zet gallery está à distância de um click (https://zet.gallery/), ainda que seja «muito mais do que uma plataforma de venda de obras de arte online ou de simples galeria: é o porto seguro de muitos artistas, é parceiro de vários municípios naquilo que é um pensamento estratégico sobre a arte em espaço público e é uma extensão da acção diária do dst group na construção de cultura», remata Helena.

Inauguração da exposição «A Conspiração da Arte» na zet gallery
F. WAPA
Inauguração da exposição «A Conspiração da Arte» na zet gallery
Exposição OFICINA TROPICAL de Francisco Vidal na zet gallery
F. WAPA
Exposição OFICINA TROPICAL de Francisco Vidal na zet gallery
Exposição OFICINA TROPICAL de Francisco Vidal na zet gallery
F. WAPA
Exposição OFICINA TROPICAL de Francisco Vidal na zet gallery
Instalação vídeo de Francisco Lourenço na zet gallery
F. WAPA
Instalação vídeo de Francisco Lourenço na zet gallery
«Janelas Abertas» de Miguel Neves Oliveira, rotunda das Bretas, Braga
F. WAPA
«Janelas Abertas» de Miguel Neves Oliveira, rotunda das Bretas, Braga
«Plataforma» de Miguel Palma no campus do dst group, Braga
F. Helena Mendes Pereira
«Plataforma» de Miguel Palma no campus do dst group, Braga
T. Maria Amélia Pires
F. Direitos Reservados