VillaseGolfe
· Cultura · · T. Redação · F. Direitos Reservados

Coisas que não há que há, no Teatro Carlos Alberto, no Porto

Espetáculo baseado na poesia de Manuel António Pina

Villas&Golfe Pub.

Com estreia marcada para o dia 31 de maio, às 21h00, no Teatro Carlos Alberto, no Porto, Coisas que não há que há é um espectáculo produzido a partir da poesia de Manuel António Pina, já que uma das muitas qualidades da poesia deste autor é a sua musicalidade. Coisas que não há que há nasceu, precisamente, do desejo do Coro Lira dar voz a essa virtude, convidando dez compositores contemporâneos a musicarem outros tantos poemas de Pina, para um coro de 30 vozes infantis e juvenis. O Teatro do Frio juntou-se depois no desenho e na construção da dramaturgia do espetáculo, com direção artística de Catarina Lacerda e direção musical de Raquel Couto. Este espetáculo, que é uma coprodução do Teatro do Frio e do Teatro Nacional São João (TNSJ), parte da essência lúdica, interrogativa e onírica da poesia de Manuel António Pina e converte-a em memória e vivência imaginada dos corpos. Entre as «esquinas, pracetas e recantos da linguagem», adultos e crianças, gigões e anantes, dão asas plenas ao seu «pássaro da cabeça», numa abordagem que varia entre o concerto, a apresentação coral e o teatro físico. A peça também estará em cena no dia 1 de junho, Dia Mundial da Criança, às 11h00 e às 16h00, contando com tradução em Língua Gestual Portuguesa.

Redação
T. Redação
F. Direitos Reservados