· Cultura · · T. Maria Amélia Pires · F. Direitos Reservados

Tianjin Binhai Library

«The Eye»

Villas&Golfe Pub.
Foi inaugurada no primeiro dia de outubro de 2017 e é já um dos locais mais visitados da China. Tianjin Binhai Library é uma biblioteca localizada no município homónimo (Tianjin Binhai), uma metrópole costeira da China, e também encomendada por este organismo público ao atelier de arquitetura holandês MVRDV que a projetou em colaboração com o Tianjin Urban Planning and Design Institute (TUPDI). A biblioteca é parte de um projeto maior, idealizado pela GMP architekten, que criará um distrito cultural na cidade de Tianjin, e foi projetada e construída num período recorde de três anos, devido ao curto cronograma imposto pelo município. Situada ao lado de um parque, é um dos cinco edifícios culturais conectados por um corredor público envolto por uma marquise de vidro.

É difícil acreditar que não se trata de um cenário virtual para um filme de ficção científica, mas a Tianjin Binhai Library é bem real. Esta biblioteca, ou centro cultural, tem 33.700 m² e, no seu interior, mesmo ao centro, possui uma esfera luminosa que, na verdade, é um auditório com capacidade para 110 pessoas à volta do qual as estantes, do chão ao teto, são posicionadas em cascata. Essa esfera gigante, ou o conjunto, tem sido frequentemente apelidada de «The Eye», por razões óbvias. As estantes onduladas, com capacidade para mais de um milhão de livros, são o principal dispositivo espacial do edifício e servem tanto para enquadrar o espaço, como para criar escadas, assentos e tetos em camadas. Esses contornos também seguem ao longo das duas fachadas de vidro que conectam a biblioteca ao parque e ao corredor público interno, servindo como ‘persianas’ para proteger o interior da luz solar excessiva, criando também um espaço brilhante e uniformemente iluminado.
As estantes onduladas têm capacidade para mais de um milhão de livroS.
Com cinco níveis, o primeiro e segundo pisos são dedicados, principalmente, às áreas de estar e zonas de leitura. Os pisos superiores possuem salas de informática, de reuniões, escritórios, salas de áudio, além de dois pátios na cobertura. Há ainda uma área subterrânea para espaços de serviço, armazenamento e arquivo. Devido ao prazo apertado, descartou-se uma parte essencial do conceito: o acesso às estantes superiores dos espaços posicionados atrás do átrio. Essa mudança foi feita localmente e à última hora, contra o conselho do MVRDV, e tornou o acesso às prateleiras superiores atualmente impossível. O projeto completo da biblioteca pode ser levado a cabo no futuro mas, até lá, há placas de alumínio perfuradas impressas para representar livros nas prateleiras superiores. A limpeza é feita através de cordas e andaimes móveis. Este é o segundo projeto do MVRDV realizado em Tianjin e alcançou o estatuto de duas estrelas da Green Star, o rótulo de eficiência energética da China.
Desde a sua abertura, a Tianjin Binhai Library tem tido um grande sucesso nos meios de comunicação de todo o mundo. Quem a visita descreve-a como «Oceano dos Livros», a «Biblioteca mais bonita da China», «mar de conhecimento», «Super Sci-Fi» ou simplesmente «The Eye». Mas, mais importante, é ser a sala de estar urbana que estava designado ser, um lugar destinado a estimular diferentes usos, como ler, caminhar, conhecer, discutir e… ficar deslumbrado.

Maria Amélia Pires
T. Maria Amélia Pires
F. Direitos Reservados