José Manuel Fernandes

DA CPLP

António Rebelo de Sousa

Opinião Anterior
José Manuel Fernandes

O urgente é a ação!

José Manuel Fernandes

Próxima Opinião

O Algarve, de um ponto de vista diferente

Agnieszka Kijonka

CEO A1 Algarve Real Estate

Agnieszka Kijonka

É do Porto? Ou de Lisboa? O headline despertou o seu interesse? O que poderia ser esse ponto de vista diferente do Algarve, senão o mini-Marrocos com praias lotadas, serviço lento nos restaurantes, garrafas plásticas vazias nas ruas e engarrafamentos no calor insano?
Se acha assim, só conhece o Algarve do mês de agosto, porque vem visitar-nos durante o pico de verão. Muitos estrangeiros conhecem melhor o Algarve do que os lisboetas e portuenses, porque escolhem um período diferente das férias de verão para desfrutar deste belo pedaço da Europa. Deixe-me mostrar-lhe o Algarve através dos olhos de um estrangeiro: o Algarve é um local excecionalmente bonito. A Mãe Natureza realmente não poupou mesmo nenhum esforço aqui. Se quiser só para si os destaques do Algarve, como as praias fantásticas, as falésias deslumbrantes e as pequenas aldeias pitorescas, deve visitar a região fora de época. A minha sugestão é: visite-o na primavera ou no outono. A primavera faz o Algarve brilhar com uma luz completamente diferente. Só as inúmeras amendoeiras em flor são razão suficiente para optar por esta época.
Muitas pessoas só visitam a parte sul do Algarve. Eles perdem uma paisagem bem interessante e selvagem: a costa oeste do Algarve. Muitas vezes a costa desce ainda mais vertiginosa pelo mar, aqui, do que no sul, e as águas são mais agitadas. No geral, o ritmo parece ser diferente aqui – mais lento. Arrifana é uma grande baía em forma de meia-lua por entre falésias altas. É popular para os surfistas e é simplesmente maravilhosa de se ver. Não encontrará grandes hotéis aqui. Em vez deles, há pequenas casas aconchegantes que são discretamente construídas na encosta. Algumas delas são casas tradicionais de pescadores. Se andar até o extremo sul da praia, um pequeno caminho leva até as rochas.
Quer Lagos, Silves, Loulé ou Tavira, todas estas pequenas cidades encantadoras têm praticamente tudo: restaurantes, bares, praias próximas e uma pitoresca zona histórica. Palco de festa e caos turístico na época alta, na época baixa, contudo, encontram-se joias. Na zona histórica pode seguir os passos dos romanos e dos mouros e, claro, há inúmeras referências aos tempos em que Portugal ainda era uma grande potência naval. Mas mesmo aqueles menos interessados ​​na história acharão difícil resistir ao charme da pequena cidade.
Quer se trate de passeios de barco a grutas, no catamarã à procura de golfinhos, ou pescar em alto mar; do autódromo em Portimão, onde pode marcar test drives em carros de corrida; a Via Algarviana, que permite conhecer o Algarve ao longo de 300 km a pé; dum safári de jipe; dum passeio de balão ou parapente; ou do centro de arte contemporânea Zefa, em Almancil, que é o maior centro de artes privado de Portugal… todas essas experiências não são apenas para turistas estrangeiros.
Tente ver o Algarve de uma perspetiva diferente. No verão a praia é mesmo demasiado cheia e excessivamente quente.