José Manuel Fernandes

Viagem «carpe diem»

Cristina Borges de Carvalho

Opinião Anterior
José Manuel Fernandes

Os extremos juntam-se

José Manuel Fernandes

Próxima Opinião

O luxo tem um propósito

João Trincheiras

Diretor de Comunicação da BMW Portugal

João Trincheiras
Tradicionalmente, o ‘custumer service’ era um exclusivo das marcas de luxo, que disponibilizavam produtos únicos, de qualidade superior, acabamentos requintados e uma atenção meticulosa ao detalhe – no caso do BMW Group, o expoente máximo desse conceito é a Rolls-Royce, o fabricante de automóveis de luxo mais exclusivo do mundo. Continua, e continuará a haver, mercado para o consumidor que procura a melhor versão de tudo aquilo que consome, e para o qual é imperativo as marcas apostarem em serviços exclusivos, diferenciados e de um requinte sem par.
Mas, se há vinte anos, um veículo de luxo se distinguia pela sua capacidade de proporcionar uma experiência de conforto, com equipamento de última geração, e uma elevada perceção de qualidade e performance – associada a segurança –, atualmente a expetativa excede estes pilares, para dar prioridade a critérios de sustentabilidade, inovação e tecnologia. 
Em particular, no setor automóvel, se por um lado o aumento do rendimento disponível dos consumidores tem impulsionado a procura de veículos de luxo por todo o mundo, por outro, o desenvolvimento da tecnologia tem vindo a aproximar as marcas esbatendo critérios que antes eram fator de diferenciação, como inovação, performance e design. 
A acrescer a isto, as novas gerações têm uma perceção diferente de consumo, e têm novos valores e expetativas relativamente às marcas de luxo. Para os consumidores mais jovens, há valores éticos e morais que se tornam prioritários, e que influenciam fortemente as suas decisões de compra. Cresce a procura por marcas que, mais do que oferecerem experiências, produtos e serviços únicos, se desenvolvem em torno de uma causa, que têm propósito. 
Como podem as marcas de luxo responder a estes desafios, continuando a assegurar um lugar cimeiro na oferta de serviços e produtos únicos? As marcas têm que responder a essas mudanças apostando no fator diferenciação dos seus produtos e serviços. Na BMW temos feito um investimento enorme na investigação e no desenvolvimento da mobilidade do futuro. O conceito ‘veículo de luxo’ não se resume a conforto, performance, segurança ou qualidade – esses são valores basilares que sempre nos acompanharam –, mas parte antes da premissa de que o futuro passa por termos um propósito, de olharmos para o mundo com os olhos postos no amanhã e anteciparmos a forma como as pessoas vão continuar a consumir produtos de luxo, assentes na relação que estabelecem com as marcas.