VillaseGolfe
· Cultura · · T. Maria Amélia Pires · F. Direitos Reservados

Nordic Museum

Cultura nórdica na América

Villas&Golfe Pub.
Há quase 40 anos em Seattle, EUA, o Nordic Museum – anteriormente chamado Nordic Heritage Museum – está finalmente instalado numa nova casa, construída especificamente para homenagear a herança dos povos nórdicos que, ao longo dos tempos, quiseram viver o sonho americano. Anteriormente, e desde 1980, o Museu estava situado numa escola em Ballard, um bairro construído por imigrantes, mas o seu novo edifício com cerca de 5300 m2, inaugurado em maio último, é um gigantesco passo à frente, não apenas em termos de capacidade, funcionalidade e modernidade, mas também ao nível do design

Absolutamente tudo, desde a forma do edifício até à experiência de visita guiada, está intimamente ligado à cultura, tradição e paisagens de cinco países nórdicos – Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia – e às pessoas que de lá vieram. 
O novo design do museu, segundo a Mithun, a empresa de arquitetura responsável pelo projeto, é «organizado em torno de um fiorde linear» que une histórias da região nórdica e da experiência nórdico-americana. Um revestimento de zinco verticalmente estriado envolve o exterior do edifício, enquanto as paredes internas facetadas e brancas evocam o ambiente glaciar. Dentro desse fiorde há uma narrativa, ‘escrita’ pelos designers de exposição da Ralph Appelbaum Associates (RAA): pontes conectam exibições nórdicas e nórdico-americanas e, no centro, o Fjord Hall conecta todas as exposições e recursos do museu como se fossem afluentes, cumprimentando os visitantes com a exibição de um mapa. A partir do Fjord Hall, os visitantes partem à descoberta de várias áreas de exposição. Se na Nordic Orientation Gallery se explica o que significa ser nórdico ou nórdico-americano, na Sense of Place Gallery os bancos inspirados na região nórdica são o assento perfeito para visualizar filmes sobre o meio ambiente da região. Por sua vez, a Nordic Region Gallery apresenta artefactos e momentos históricos importantes de todos os cinco países nórdicos e explora a forma como os imigrantes construíram a vida na América. A última área, o Nordic Perspectives Forum, mostra a vida contemporânea na América e na região nórdica e a maneira como todos se conectam entre si e com o passado. Ao todo são cerca de 1750 m2 de exposições permanentes e 350 m2 de exposições temporárias, abrigando 580 artefactos, para além de uma zona de armazém com cerca de 230 m2, um café e uma loja. Uma sala de reuniões e convenções adiciona mais 390 m2 e capacidade para 374 pessoas. O paisagismo em torno do museu é parte integrante das instalações, exibindo não apenas algumas exposições, mas também uma sauna finlandesa centenária que o museu espera que um dia se torne funcional. 
O Nordic Museum, na Market Street, o coração de Ballard, é, assim, um elo de ligação entre a região nórdica e a experiência dos nórdicos-americanos, no passado e no presente. Segundo a RAA (Ralph Appelbaum Associates), este museu e centro cultural, «ao permitir voltar a um passado distante, é uma forma de explorar e perceber os tempos mais recentes».


T. Maria Amélia Pires
F. Direitos Reservados