· Gourmet · · T. Maria Amélia Pires · F. Direitos Reservados

Restaurante O Ato

Lisboeta, artista, apaixonado, irreverente e genuíno

Villas&Golfe Pub.
Do menu fazem parte os mais tradicionais sabores portugueses, especialmente lisboetas, misturados com modernidade e inovação, e harmonizados por vinhos exclusivos. Na cozinha, é o galardoado Chef Miguel Laffan que faz do ato de cozinhar uma arte, indo ao encontro de todos os palatos, dos mais simples aos mais experientes. O palco tem um cenário inspirado numa Lisboa hollywoodesca dos anos 40, onde a cidade servia de exílio da realeza e havia espiões de guerra e homens de negócios de todo o mundo. 

Luzes, câmara, ação! Os protagonistas são os comensais, que parecem entrar numa Lisboa de outrora, artística e dourada, e são os sabores, ‘dirigidos’ por Miguel Laffan e a sua equipa. Inserido no edifício do apart-hotel boutique O Artista, no Largo do Regedor, na baixa pombalina da capital ‘menina e moça’, O Ato é uma homenagem ao ato de ser lisboeta, artista, apaixonado, irreverente e genuíno, uma homenagem materializada num espaço do passado, no presente, e intemporal. Materializada, também, na arte de cozinhar, empratar e servir sabores que despertam os sentidos.
O ‘cenógrafo’ foi eleito entre os melhores. Nini Andrade e Silva assina este espaço que evoca as mais variadas formas artísticas, da arquitetura à dança, da moda ao cinema. A época da Lisboa dourada foi também a do inesquecível Vasco Santana e é à volta desta figura que gira o conceito do projeto. O ambiente é dominado por tons quentes que remetem para a cor de vinho, e culmina numa fonte com bicas em forma de garrafa, uma analogia à emblemática cena de O Pátio da Cantigas, na qual, após o ator fazer um furo na parede, dela começa a jorrar vinho tinto. A mancha de vinho dispersa-se, assim, em todos os sentidos, da receção a todas as salas. Por baixo dela, no rés do chão, um tributo à profissão do calceteiro e à calçada portuguesa.

As opções são muitas e todas justificam a estrela Michelin do Chef Miguel Laffan.

Já de couvert na mesa, vem uma Sopa de peixe rica e uma Gamba da costa a vapor e flor de sal, ainda que todas as entradas sejam apetecíveis. Segue-se o Bacalhau de cura especial nas brasas, xerém de chouriças e couves grelhadas e, logo depois, o Bife do lombo à portuguesa, batata frita caseira e ovo biológico. Para apetites gulosos, termina-se com um Abade de Priscos, gelado de tangerina e amêndoa. As opções são muitas e todas justificam a estrela Michelin de Miguel Laffan, um admirador incondicional da gastronomia portuguesa. Assim como são muitos e exclusivos os vinhos que as podem acompanhar. O Restaurante O Ato tem espaço para 48 pessoas no interior, sendo possível optar por uma mesa na esplanada. Está disponível um serviço de bar com cocktails clássicos e de autor. Luzes, câmara… e O Ato espera por si!

Maria Amélia Pires
T. Maria Amélia Pires
F. Direitos Reservados