· Economia&Negócios · · T. Maria Amélia Pires · F. Daniel Camacho

Paulo Abrantes

«O investimento estrangeiro está para continuar»

Villas&Golfe Pub.
Sessão fotográfica no Pestana Palácio do Freixo

Há mais de 30 anos, quando decidiu enveredar pelas áreas de gestão e dinamização de pessoas, já o cativava encetar novos projetos e liderar equipas. Fundou a DECISÕES E SOLUÇÕES há cerca de 15 anos e, desde então, o Grupo tem experimentado um percurso de sucesso, sempre baseado no crescimento sustentado. Questionado sobre o mercado imobiliário, Paulo Abrantes diz que a conjuntura continua a ser favorável, acrescentando que continua a haver uma grande procura de imóveis. No Grupo que lidera, se 2018 já foi um ano muito positivo, acredita que este ano também vai ser de grande crescimento. Paulo Abrantes prevê que até 2020 a DECISÕES E SOLUÇÕES tenha 400 agências em Portugal.

Acredita que o crescimento imobiliário se vai manter num futuro próximo?
Acredito que sim, tendo em conta que a conjuntura é muito favorável. Se por um lado a procura de imóveis continua a aumentar e a oferta tende agora a acompanhar essa demanda, por outro lado constatamos que o crédito bancário apresenta condições altamente favoráveis. Desta forma, podemos estimar que, com estes níveis de procura, o mercado imobiliário manter-se-á certamente em alta num futuro próximo. No nosso caso, o Grupo DECISÕES E SOLUÇÕES apresentou no ano de 2018 um crescimento sustentado que rondou os 48% em relação ao ano transato. Este ano, acreditamos que iremos ter um grande crescimento à semelhança dos anos anteriores.

A aposta tem sido em imóveis novos ou para reabilitar?
No passado recente, a carteira de imóveis em oferta na DECISÕES E SOLUÇÕES era alimentada maioritariamente por imóveis usados, fruto da estagnação da construção. Hoje já temos em oferta imóveis novos, muitos ainda em fase de construção. A reabilitação urbana faz-se sentir maioritariamente nos centros urbanos,  que apresentam muitos imóveis em elevado estado de degradação, altamente apetecíveis a investidores que os convertem em soluções atualizadas. Para além disso a DECISÕES E SOLUÇÕES sempre ofereceu aos seus clientes a possibilidade de construírem as suas próprias casas. 

Muito se tem falado ultimamente de especulação imobiliária. Mito ou realidade?
Naturalmente, nos mercados que apresentam um desfasamento temporário entre os níveis da procura e da oferta, os preços disponibilizados aos compradores tendem a aumentar. As grandes cidades são, de facto, as que manifestaram mais claramente essa tendência. É certo que hoje podemos já observar o comportamento da oferta a tentar colmatar essa assimetria, pelo que o mercado tenderá a encontrar o seu próprio equilíbrio. 

Que percentagem representa o investimento por parte de estrangeiros no total de vendas?
Já há alguns anos que Portugal se apresenta como um país de grande procura por parte dos investidores estrangeiros. Saliente-se que no ano 2017 essa representatividade rondava os 25% e, no ano de 2018, os números apontam para cerca de 20%, ou seja, cerca de 35.000 casas. Se à primeira vista parece ter havido um abrandamento, podemos constatar que tal não aconteceu, pois estes números devem-se fundamentalmente ao aumento do mercado interno. Inicialmente a procura de imóveis por não residentes assentava sobretudo na região do Algarve, posteriormente alargou para as grandes cidades de Lisboa e Porto e hoje essa procura estendeu-se a outras regiões. 

Qual é o tipo de cliente que vos procura?
A Decisões e Soluções oferece sobretudo um serviço de aconselhamento na solução imobiliária mais adequada ao perfil dos seus clientes e um acompanhamento em todas as áreas que este processo envolve. O nosso cliente procura uma consultora que o aconselhe e que, de certa maneira, trate de tudo. Nós não só tratamos de encontrar as casas de que as pessoas precisam, como também tratamos do crédito, dos seguros, das obras, caso sejam solicitadas. Hoje em dia,  temos clientes interessados não somente em soluções residenciais, mas também em todos os outros segmentos. Para além disso, a DECISÕES E SOLUÇÕES é muito procurada por clientes que pretendem soluções mais personalizadas, sobretudo na procura de habitação de raiz. Se um cliente pretender construir a sua própria moradia, nós tratamos de encontrar soluções que passam pela oferta do terreno, elaboramos os projetos de arquitetura e de todas as especialidades e tratamos também da construção. No fundo, pautamo-nos por ter um serviço muito focado no cliente. 
«A minha principal realização são os meus dois filhos, mas também tenho muito orgulho no Grupo DECISÕES E SOLUÇÕES»
Pretendem abrir mais agências?
O Grupo DS tem neste momento mais de 200 agências a nível nacional. No ano passado inaugurámos perto de 80 agências e este ano queremos inaugurar mais 100. Temos o objetivo de ter 500 agências em Portugal, distribuídas pelas redes DECISÕES E SOLUÇÕES, DS SEGUROS e DS CRÉDITO. 

O segmento do imobiliário de luxo apresenta-se atualmente tão dinâmico como os demais?
O segmento de luxo teve sempre bastante procura no nosso país. Não significa que seja caracterizado por um elevado número de transações, mas pauta-se sobretudo pelo elevado valor que cada operação envolve. Neste segmento de mercado podemos sentir que muito contribui o investimento estrangeiro liderado pelos franceses, brasileiros, espanhóis e até pelos italianos.

Neste segmento alto, quais são as zonas do país mais procuradas?
Neste segmento há uma elevada procura de imóveis residenciais, prédios, moradias e apartamentos de luxo, que se situam fundamentalmente na região do Algarve, ocupando a primeira posição, seguida pela Grande Lisboa e pelo Porto.

Que objetivos traçou para o futuro do Grupo? 
O objetivo é continuarmos a crescer em agências, colaboradores, clientes e em volume de negócios, em todas as áreas de atuação da empresa. O plano é de crescimento sustentado, como temos feito nos últimos 15 anos, prestando um serviço de excelência aos nossos clientes. 

Realizações pessoais do Paulo Abrantes?
Já alcancei muitos, mas ainda tenho muitos sonhos que espero concretizar. A minha principal realização é, sem dúvida alguma, os meus dois filhos, mas também tenho muito orgulho no Grupo DECISÕES E SOLUÇÕES, que atualmente tem 210 agências em Portugal, cerca de 1600 colaboradores e mais de 300.000 clientes a nível nacional. 

Sonhos?
Já realizei alguns, mas ainda tenho muitos que espero alcançar. 

Qual a viagem que mais gostou de fazer até hoje?
Gostei muito de uma viagem que fiz à Patagónia e de um Safari que fiz na África do Sul. 

Viagem de sonho?
Poder dar uma volta ao mundo durante um ou dois meses seguidos. 

O restaurante predileto?
É muito difícil para mim escolher um só. Existem vários que já conheci que são muito bons, mas existem muitos mais que também tenho vontade de conhecer. 

O que é que o faz feliz?
Viver em paz, ter saúde, sentir-me útil, poder ajudar os outros e conseguir realizar os meus sonhos. 

E o que é para si a simplicidade?
É dar valor às coisas simples da vida. 

Como é o Paulo Abrantes em família?
Sou eu próprio, descontraído, autêntico e gosto que todos estejam bem à minha volta. 

É exigente?
Sou muito exigente comigo e também sou exigente com os que estão à minha volta. A nível profissional, espero que as pessoas que trabalham comigo tenham um grande sentido de responsabilidade e também sejam exigentes com elas próprias. A nível familiar, gosto que os meus filhos sejam bons alunos, tenham objetivos e lutem por realizar todos os seus sonhos, mas que, simultaneamente, tenham sempre presente a preocupação de ajudarem os outros. 

Ao fazer 50 anos o que mudou na sua vida?
Não mudamos muito de um dia para o outro, mas espero aproveitar da melhor forma os próximos 50 anos. 

Considera-se irreverente?
Considero-me uma pessoa perfeitamente normal, mas com a obrigação de fazer mais e melhor. 

O que significa para si o sucesso?
Para mim uma pessoa bem-sucedida é alguém que tem o privilégio de poder ajudar os outros a terem uma vida um pouco melhor. 

Diga três palavras que o definam?
Responsabilidade, otimismo e determinação. 

Maria Amélia Pires
T. Maria Amélia Pires
F. Daniel Camacho