VillaseGolfe
· Economia&Negócios · · T. Redação · F. Direitos Reservados

Investimento Direto Estrangeiro cresce no Norte de Portugal

Estudo da EY com apoio da InvestPorto

Villas&Golfe Pub. PUB HOMES IN HEAVEN Pub. PMmedia PUB Pub.

A EY, uma empresa líder global em auditoria, assessoria fiscal, assessoria de transações e assessoria de gestão, desenvolveu um estudo com o apoio da InvestPorto, denominado Porto and Northern Portugal: A Magnet for Investment - Portugal Regional Attractiveness Survey 2019, que dá conta que, em 2018, o investimento direto estrangeiro criou 2.754 novos postos de trabalho, no Porto e Norte de Portugal, o que representa 45% do total registado no país. No período analisado de 2013 a 2018, o IDE (Investimento Direto Estrangeiro) no Porto Norte de Portugal apresentou uma taxa de crescimento média anual de 11,4%, colocando esta região em clara ascensão no país. Tendo em conta os resultados do estudo, os países que mais investem no Porto e Norte de Portugal são a França (46%) e a Alemanha (13%). Os setores-chave que apresentam um maior número de projetos são a Indústria (nomeadamente a fabricação de material de transporte), o Digital, o Agroalimentar e os Serviços às Empresas. Após um crescimento do investimento direto estrangeiro particularmente intenso no Porto e Norte de Portugal em 2017, a tendência abrandou um pouco em 2018, mas mostra-se mais rápida nesta região do que em Portugal, em geral, e na União Europeia no seu todo (9,1% taxa de crescimento anual composto do número de projetos IDE entre 2008 e 2018, comparando com 6,6% em Portugal e 5,3% na União Europeia). «Esta atratividade diferenciada do Porto e Norte de Portugal», refere Florbela Lima, Partner EY e Strategy Leader da EY-Parthenon, «tem por base fatores como a qualidade de vida (91%), a estabilidade do clima social (79%), a infraestrutura de telecomunicações (77%), os custos de mão-de-obra (75%) e o potencial para o aumento de produtividade (72%)».

Redação
T. Redação
F. Direitos Reservados